segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

TORNEIO INTERLAGOS DE REGULARIDADE - CLÁSSICOS - 4. ETAPA 2013

foto: Aderico Lopes
Eu não poderia deixar passar em branco o registro da prova de regularidade organizada pelo Jan Balder. Uma combinação de máquinas e pista, coisa que qualquer piston-head como eu fica babando. A 4. etapa de clássicos de 2013 foi realizada sábado dia 21 de dezembro. O tempo nublado e sem chuva deu um efeito mais dramático ao evento.

as núvens combinaram com o prata monterrey


O torneio é divido em duas categorias "Clássicos" e "Modernos", sendo ambas divididas em "Individual" ou "Duplas". Detalhes das regras você encontra no site www.torneiointerlagos.com.br. 

trio OBA

Diferente dos "track days", o clima da regularidade é mais amistoso dentro das pistas, pois o objetivo é fazer voltas constantes dentro de um tempo proposto.

alinhamentos antes de entrar na pista

O meu carro ideal para andar na pista seria o Mustang, pois é mais leve, possui comando mais "bravo", recebeu freios à disco na frente com pistões duplo, radiador de aluminio, ventoinha elétrica, bombas de alto volume, além do câmbio manual de 3 marchas.

novo motor do Mustang, V8 289

Ocorre que o pony ficou pronto só "agora", ou seja, o motor nem foi amaciado, os freios ainda estão com pouco vácuo (ainda sem diagnóstico) e para coroar entupiu a marcha lenta na véspera da prova. Na real, eu achei até melhor, pois ainda não tenho confiança no carro, coisa que a gente só adquiri depois de muitos Km juntos.

Por isso não hesitei em ir de Dodge. O R/T monterrey e eu somos parceiros há mais de 8 anos, passeamos quase todos os fins de semana, viajamos para todos os cantos, participando de um sem número de eventos, inclusive de uma prova de arrancada (confira no link). Confiável sim, mas não é um carro de pista, logo mais abaixo explico.

coração V8 318 do Dodge


Chegando em Interlagos de Dodjão fui muito bem recebido pelos organizadores, o clima estava ótimo, apesar da minha ansiedade. Havia uma boa banda de rock'n'roll para dar o tom da brincadeira. Após ser devidamente instruído andamos por cerca de 1 hora na pista, ou seja de 18 a 20 voltas, a depender do seu tempo.

rock'n'roll foi o tom do dia

Nós (o R/T e eu) nunca tínhamos participado de provas de regularidade, e mesmo já tendo feito voltas de Charger em Interlagos, todas foram sempre com um pace car na pista (uma vez no Clássicos de Competição 2007, outra na abertura de uma etapa da Itaipava GT3 2009 e por fim na despedida do Fábio em 2012), eu nunca havia testado o limite do pratão dentro do ambiente controlado de um autódromo.


Por ser novato, perguntei ao grupo habitué que tempo de volta eu deveria perseguir. Houve quase uma unanimidade em recomendar 3:00 / volta. Um mais ousado disse 2:50, mas logo advertiu "você irá judiá-lo nas curvas".

bem acompanhado foto: Aderico Lopes


Acabei por concordar, pois vários fatores jogavam contra um tempo de volta baixo, a saber: 1) o dodjão é "jão" por que ele é grande, suspensão original, com feixe de molas na traseira, resumindo, uma barca; 2) o carro é todo original, exceto uma quadrijet e um comando manso; 3) ele é automático; 4) eu não sou nenhum piloto; 5) era minha primeira vez numa prova de regularidade; 6) houve recorde de inscrições, tinham mais de 50 carros na pista, sendo vedado dividir curvas.


Assim, que o pace car se recolheu comecei a pisar mais firme. Eu repetia para mim, "vamos fazer uma volta limpa, sem forçar limites, mas andando forte". E isso que eu fiz. Com um relógio de cronometro no pulso fui marcando voltas, passadas as 3 primeiras, vieram as revelações, contrariando a física e os experts: 2:49, depois 2:47, e ai 2:45, 2:49, 2:47, chegando 2:39, 2:42 e assim por diante. Surpresa total, respeitei a regra, não ultrapassei em curvas, não fui no limite, mas sim toquei forte. Creio que um tempo bom para perseguir com o meu mopar seria algo entre 2:45 e 2:50.

olhar de fera das Pumas
De qualquer forma, fiquei surpreso com a capacidade de Dodge contornar as curvas, deitando de forma macia no "S" do Senna, retomadas fortes, mas o melhor mesmo era após o mergulho, lá na subida dos boxes, onde todo o torque do V8 de 5.2 litros (ou 318 pol3) eram devidamente despejados.

pequeno valente (e turbo), entre os grandalhões opala e dodge
Já no final da prova os freios deram sinal de fading, o que era de certa forma esperado, afinal são mais de 1500 Kg. Nada que a troca do óleo de freio por um sintético mais grosso não venha a resolver se eu vier a levá-lo novamente à pista.



Os demais participantes deram um show à parte com suas belas máquinas, Porsches, Alfas, Fuscas, Pumas, Mavericks, Cobra, Karman Guias, Gordini, Opalas, Caravan, Fiats, Datsun, Willys-Interlagos, Chevelle e até um Buggy, entre outros.



Por fim, após umas belas voltas ainda pude acompanhar a movimentação dos boxes da classic e da copa Clio. Conclusão, mais um dia memorável para ser guardado na caixinha das boas recordações.



belo e forte Marevick GT, andamos juntos
cuore italiano bem representado
na saída da pista uma fórmula VEE preso entre os grandes Fords

Japão bem representado pelo Datsun 1973

Datsun
Puma "tubarão"
bela trinca, Alfa e duas 911
911 Turbo

de Charger nos Boxes
Chevelle - envelopada e preparada
SS

ele que o nome da pista: Interlagos
mitos nacionais: Puma tubarão, Puma GTB, SP2 e Fusca

bem calçado parte I

bem calçado parte II

classic - beetle

classic - Gol e Chevette tubarão

passat - classic

famoso Maverick Berta

nos boxes: Clios alinhados



2 comentários:

  1. Gian, muito legal. Pelo vídeo a gente percebe a força do R/T nas retomadas, era um tal de ultrapassar um monte de carros depois do Café!

    Imagino que em um carro com câmbio automático os freios acabam sofrendo mesmo. Da próxima, deixemos nossos R/Ts automáticos em casa e vamos de Ford! Lógico que não vou conseguir acompanhar o Stang (falta braço) mas o Maverick deve fazer bonito.

    Abração!

    Reinaldo
    http://reiv8.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vamos sim Rei, o grande barato não é moer o carro, dá para tocar forte sem romper os limites! eu fiquei surpreso como mesmo com a configuração original esses carros andam. imagina só aquelas máquinas preparadas do Turismo 5000! abracão e bom Natal em família.

      Excluir